segunda-feira, 5 de setembro de 2011

A perda...o vazio...

Sabia que o dia 29 de Julho seria o dia da decisão! Queria estar consciente de que, caso se confirma-se a gravidez anembrionária, não havia mais nada que pudessemos fazer. Graças a uma amiga, conseguimos ser atendidas no dia 28 no Centro de Genética da Reprodução do Prof. Alberto Barros - Porto, para ouvirmos uma segunda opinião. Mas tal como o médico disse, nestes casos não há segundas opiniões, a eco mostrava tudo, no nosso caso, quase nada. O saco gestacional tinha crescido, estava com 1cm, mas vazio. Não havia, de facto, mais nada a fazer. Nós moramos em Coimbra. Só posso dizer que não me lembra por onde passei na viagem de regresso, as lágrimas toldavam-me os olhos, uma dor apertava-me o coração, sentia-me desfalecer. O C, tentava consolar-me dizendo que o saco tinha crescido, que não estava pior! Penso que além de me querer consolar, ele não queria aceitar o que estava prestes a acontecer! Hoje sei que foi muito bom ter ido ao Porto, não que isso tivesse alguma influência na evolução da gravidez, mas se eu não tivesse chorado no dia 28, o dia 29 teria sido ainda mais sufocante!
Estavamos a 29 de Julho, como o meu corpo não fazia a expulsão sozinho, a minha médica da esterilidade enviou-nos para as urgências da MBB, para que fosse provocada. Nas urgências a médica explicou o que ia acontecer, introduzir-se-ia uns comprimidos na vagina que provocariam as contracções e hemorragia e a expulsão. Pude ir para casa, ainda bem, não queria nada ficar internada. Passadas 4 horas teria de voltar para fazer a 2ª dose. O pior foram as primeiras 6 a 8 horas, comecei com as contrações e fiz efeitos secundários: diarreia (muita) e vómitos. Imaginem as dores das contracções, os intestinos às voltas e enjoada de todo! Isto aconteceu numa sexta e a expulsão só aconteceu na terça seguinte.
Mas as dores físicas esquecem-se rapidamente, as outras ficam gravadas, feridas que temos de dar tempo ao tempo para cicatrizar, cicatrizes que nunca vão desaperecer. Depois quando passa uma semana, duas, um mês reparamos que as cicatrizes estão lá e quando tocamos ainda dói... sabemos que vão ficar para sempre, que vão doer sempre e começamos lentamente a aprender a conviver com isso. Porque é no futuro que está a possibilidade de abraçarmos o nosso sonho: sermos pais!
O nosso futuro espera-nos no dia 29 de Setembro, com nova consulta de esterilidade, que aguardo com ansiedade, porque o tratamento provocou hiperestimulação ovárica e fiquei com dois valentes quistos nos ovários: um com 6 outro com 7cm, que será necessário tratar. Como? Durante quanto tempo? Não sei.
Esta é a nossa "história" de quase dois anos. Este é o início da nossa viagem pela (in)fertilidade. Esta é a luta por um sonho maior: sermos pais! E pedimos a Deus que não torne demasiado penosa a nossa caminhada! Que nas encruzilhadas nos ilumine o caminho certo e quando já não tivermos forças, que nos pegue ao colo e nos ajude a continuar a lutar! Um abraço bem apertado a todos os casais que tão bem conhecem esta caminhada e muita muita força: em breve o nosso sonho há-de ser realidade!

5 comentários:

Anônimo disse...

Olá!
Tropeçei no seu blog hoje por acaso, ou talvez não...
mas depois de ler o seu post não pude deixar de comentar e contar a minha estória.
fez no dia 6, 6 anos que perdi a minha primeira gestação, tive uma gravidez ectópica às 8sem, embora achasse que estava só de 1mês. Tive que ser operada de urgência, foi um valente susto, e fisicamente muito doloroso. Mas passou e foi ficando o vazio da perda. Passados uns meses voltámos a tentar e engrvidei logo à primeira. Na 1ª ecografia desabou o mundo outra vez, aborto retido às 11sem. Aí cai no fundo do poço, com todos esses sentimentos negativos que também conhece. Mas achava sempre que ninguém me compreendia, que todos queriam esquecer e eu só pensava nos filhos que tinha perdido... estava mal. agora vejo que deveria ter pedido ajuda psicológica, mas deixie andar. Até que voltei a tentar e pensei, nada posso fazer se voltar a correr mal, estou nas mãos de Deus... E muito chorei durante a gravidez, mas felismente correu tudo bem, e hoje já tenho duas lindas meninas, que me ocupam todo o tempo disponível...
Quero deixar-lhe uma mensagem de esperança e conforto porque sei o que está a passar, não se feche nos seus sentimentos, tem que desabafar com pessoas de confiança, ou procurar uma associação de ajuda ( a artémis, por exemplo). Há muita gente que passou pelo mesmo. Não lhe digo que vai ser fácil, más espero do fundo do coração que consiga concretizar o seu maior desejo.
Baijinhos
sara

Teresa disse...

Olá,

Venho agradecer a visita e comentário e desejar-lhe as maiores felicidades.
Tudo de bom e que o v/ grande desejo se concretize rapidamente e para o Bem Maior de todos.
Bjs

o cantinho da marta disse...

Muita fé, muita esperança para dia 29 e muita força também.
desejo do fundo do coração que o vosso desejo se concretize, assim como o nosso, passados tantos anos, foi concretizado.
Vou estando por aqui....
Beijinho muito grande
Filomena

RenataS disse...

Embora sem a conhecer, espero que tudo corra pelo melhor e que sejam abençoados pelo dom de ser pais, assim que Deus o permitir.
Embora tenha tido uma gravidez de risco, não consigo imaginar a dor de perder um bocadinho de nós, pois no final tudo correu bem e tenho uma menina.
Tenho a certeza que também irá realizar esse sonho.
Não é com certeza fácil passar pelo que está a passar, mas há que olhar em frente e, embora custe, ser optimista!
Felicidades e se precisar de algo em que possa ajudar, é só dizer.
Beijinhos enormes,
Renata

Anônimo disse...

ola a todos. parei aqui porque também tenho andado a procura de respostas, tive 2 gravidezes não evolutivas e fiquei muito triste. já falei com a minha medica para fazer alguns exames mas ela diz que não existe nenhum tratamento ou exame especifico. tenho andado a tentar mas sempre com algum receio de que tudo se volte a repetir. tenho esperança de voltar engravidar e que tudo corra da melhor maneira mas acabamos por nos ir abaixo pensando sempre no pior. tive alguma esperança este mês, mas a 2 dias fiquei menstruada e com alguma tristeza. mas com fé e esperança sei que o meu dia e o de todas nós mulheres ira chegar. beijinhos.